Sistemas computacionais estão exigindo cada vez mais funções para atender às demandas crescentes das áreas de negócios. Atualmente, os negócios estão muito integrados no mundo inteiro, o que leva à necessidade de soluções computacionais cada vez mais elaborados e complexas.

Porém, para lidar com tais sistemas, necessita-se conhecer alguns termos que aparecem em uma discussão sobre o assunto. Por exemplo, sistema, complexidade e sistema complexo propriamente dito. Bertalanfly (1975) define sistema como um complexo de elementos em interação. Neste caso, os sistemas distinguem-se pelo número, tipo e relacionamentos entre os elementos. No caso de complexidade, Briand, Morasca e Basili (1996) definem-na como uma propriedade do sistema que depende do relacionamento entre seus elementos e não da propriedade de qualquer elemento isolado. Já Sommerville (2007) diz que complexidade está associada às propriedades emergentes dos sistemas. Essas propriedades não podem ser atribuídas a qualquer parte específica do sistema. Elas aparecem após a integração dos componentes do sistema. Elas podem ser funcionais (ex. funcionalidade) ou não-funcionais (ex. confiabilidade, desempenho, segurança, proteção).

Uma definição mais clara sobre sistema complexo pode ser encontrada no dicionário da BussinessDictionary.com, que segundo ele:

"Sistema Complexo consiste de (muitos) diversos e autônomos, porém inter-relacionados e interdependentes, componentes ou partes ligadas através de muitas (densas) interconexões. Sistemas complexos não podem ser descritos por uma única regra e suas características não são redutíveis a um único nível de descrição. Eles exibem propriedades que emergem da interação de suas partes e que não podem ser previstas a partir das propriedades de suas partes."

O interesse sobre Sistemas Complexos surgiu há seis anos, com uma dissertação de mestrado orientado pelo prof. Kechi Hirama, que envolvia algumas questões embrionárias sobre sistemas dinâmicos complexos e teoria do caos aplicados no desenvolvimento de software.

O Grupo de Sistemas Complexos (GSC) foi constituído em 31 de agosto de 2010 dado o interesse manifestado por alguns docentes/pesquisadores do PCS para desenvolver pesquisas na área de engenharia de Sistemas Computacionais Complexos. Nas áreas como sociologia, economia, medicina, astronomia existem grupos similares que desenvolvem trabalhos sobre demografia, crises econômicas, propagação de doenças, evolução do universo, etc. que utilizam ferramentas computacionais para pesquisas, simulações e análise de dados.

No campo de engenharia de computação, a proposta do GSC é pesquisar processos, métodos, técnicas, padrões arquiteturais e dados não-estruturados. As áreas de interesse são sistemas Dinâmicos Complexos, Redes Complexas e Big Data.