Objetivo

Criado em 1997, por iniciativa dos Profs. Anna Helena Reali Costa, Jaime Simão Sichman e Marco Tulio Carvalho de Andrade, o Laboratório de Técnicas Inteligentes (LTI) é um laboratório de pesquisa e extensão pertencente ao Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (EPUSP) cujo interesse fundamental é a Inteligência Artificial. Em suas atividades são pesquisadas técnicas e métodos que permitem a solução econômica de problemas cuja solução algorítmica tradicional seria computacionalmente proibitiva.

Áreas de Atuação

  • Aprendizado de máquina;
  • Inteligência artificial distribuída;
  • Sistemas multiagentes;
  • Simulação multiagentes;
  • Visão computacional;
  • Robótica móvel inteligente.

Histórico

O LTI foi criado em 1997, tendo como objetivo servir como laboratório de desenvolvimento e pesquisas na área de inteligência artificial (IA). Atualmente, o laboratório conta com 2 professores livre-docentes, aproximadamente 16 alunos de pós-graduação (doutorandos, mestrandos e colaboradores), 17 pós-graduações concluídas e diversos alunos de iniciação científica. Um dos projetos de maior destaque do laboratório em seu curto período de existência é o do futebol de robôs móveis autônomos. Este desenvolvimento se iniciou em 1997, com os primeiros passos para a construção de um time de robôs totalmente nacional voltado para a participação em um torneio mundial da liga de micro-robôs do Mirosot/FIRA (liga coreana).

Em abril de 1998 o LTI desenvolveu seu primeiro time de futebol de robôs móveis autônomos (com tecnologia totalmente nacional), que ficou conhecido como FUTEPOLI. Este projeto - um dos pioneiros no país - levou o laboratório e seus integrantes a organizarem e sediarem a primeira "Copa Brasil de Futebol de Robôs". Nesta ocasião, o time local conquistou o quarto lugar.

Em julho de 1998, o LTI desenvolveu sua segunda geração do mesmo time - denominado GUARANA, - em parceria com a Unesp - Campus de Bauru. Esse time foi levado à Copa do Mundo de Futebol de Robôs (realizada na França, paralelamente à Copa do Mundo da FIFA) onde sagrou-se vice-campeão mundial, perdendo o título na final para a equipe coreana. Depois da conquista do vice-campeonato, o LTI vem desenvolvendo pesquisas para migrar para a liga de robôs middle size da Robocup (liga japonesa), que requer robôs mais robustos e com processamento embarcado. A coordenação destes projetos estiveram a cargo da Profa. Dra. Anna Helena Reali Costa.

Em 2000, o LTI foi o laboratório responsável pela organização da 7a Conferência Ibero-Americana de Inteligência Artificial e do 15o Simpósio Brasileiro de Inteligência Artificial (IBERAMIA/SBIA 2000), eventos organizados conjuntamente em comemoração aos 500 anos do descobrimento do Brasil. Tratou-se do maior Congresso já realizado no país na área, com cerca de 300 particpantes nacionais e internacionais. O coordenador geral do Congresso foi o Prof. Dr. Jaime Simão Sichman.

Infra-Estrutura

O LTI encontra-se instalado junto ao Departamento  de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS), na sala C2-50 do prédio da Engenharia Elétrica da EPUSP.

O Laboratório  conta com os diversos  equipamentos, incluindo servidores, computadores, câmeras, sensores e plataformas de robôs móveis.